Vistos e Trabalho voluntário

Muita gente tem pedido conselhos sobre vistos e ajuda com documentação.

Esta é, sem dúvida, a parte mais chata dos preparativos para viagens longas. Nós mesmos gastamos boa parte do tempo organizando papelada e vendo o que dá e o que não dá para fazer.

Além de não sermos especialistas no assunto, existem outros motivos porque não gostamos de falar sobre burocracias internacionais aqui no blog, entre eles:

 1 – Cada país tem suas próprias regras.

2 – Cada caso é um caso, e pedidos de vistos podem ser negados mesmo quando você preencha todos os pre-requisítos.

3 – Os pré-requisitos para vistos mudam com o tempo e este post ia atrapalhar mais do que ajudar.

 

E ai? O que que faço?

 • Busque informações na internet sobre os requisitos do pais que você quer visitar. Sempre que possível use os sites oficiais (embaixada, consolado, etc.) dos países. Muitos fórums tem informações que estão desatualizadas.

• Caso a informação não seja 100% clara, o que sempre é o caso, ache alguém que leia burocratês naquela língua. Ou, se vc tiver mais tempo do que dinheiro, gaste seu tempo indo nos lugares, conversando com as pessoas e quase sempre descubra que vc não levou algum documento, ou foto, ou xerox, ou pagou uma taxa que vc deveria ter pago, volte lá várias vezes e e espere com muita paciência e boa vontade que tudo vai dar certo.

Se você achar que não rola  de tentar o visto para o país onde inicialmente você gostaria de ir, lembre-se que há WWOOFs e outros tipos de trabalho voluntário no mundo inteiro, incluindo Brasil, e países onde brasileiros não tem dificuldade de tirar vistos como Argentina e Uruguay.

P.S.: Eu, Rodrigo,  tenho cidadania Italiana, o que facilita horrores. Mesmo assim, passamos 5 meses tentando resolver o visto da Vê, que não em cidadania. Nosso plano “B” era cair pro Marrocos ou ir pra Turquia, caso o visto não saísse. Semana passada o visto foi aprovado! 🙂

Please follow and like us:

Comments

  1. Olá! Tudo bem? Fiquei sabendo de vocês pelo site Hypeness. Sou estudante da Universidade PUC Campinas e estou no último ano desenvolvendo o meu Trabalho de Conclusão de Curso. O meu tema é: Turismo de intercâmbio e as contribuições na formação cultural da identidade do viajante. Gostaria de saber se é possível ter a honra de agregar uma entrevista com vocês na minha pesquisa qualitativa para o meu trabalho final. Aguardo ansiosamente, agradeço desde já! Letícia.

  2. Olá! Acabei de conhecer a historia linda de vocês via internet. A vida cruzou nossas historias, estou em Malaga e gostaria de saber se vocês ainda se encontram por aqui 🙂
    Tem interesse em conversar mais ou um possivel encontro?
    Muita sorte e amor a vocês, Nathy

  3. Olá queridos, sou a fundadora do projeto ViraVolta, que dissemina o conceito de viagem longo prazo pelo mundo. Adoramos a história de vcs e até já comentamos sobre vcs em um post nosso. Vejam aqui: http://projetoviravolta.com/voce-pode-sim-viajar-o-mundo-com-filhos/. Queria muito entrar em contato com vcs por e-mail. Me escrevam no e-mail caroca.fernandes@gmail.com ou me mandem o e-mail de vcs por aqui. Deixei uma msg na FP de vcs mas acho que vcs não viram. Abs e boa viagem

  4. Oi, Rodrigo

    Parabéns pelo site, muito legal a experiência de vocês. Eu e minha mulher estamos indo para a Europa em maio para estudar, mas até setembro vamos fazer trabalho voluntário, ainda estamos na fase do planejamento. Ela é cidadã italiana e eu não, mesmo caso de vocês.

    Vocês tiveram alguma dificuldade com visto nos países europeus, sendo a Verônica tua esposa? No site da UE não está claro, mas pelo que entendi, o visto de familiar de cidadão para um país teria validade nos demais do Espaço Schengen. Ou estou enganado?

    Abraço

    1. Author

      Daniel, é por aí mas lembre-se que visto de turismo é uma coisa, visto de residência é outra. Você precisará tirar o visto de residência no país onde for morar. Cada país tem uma regra.

      Aqui na Espanhã (em Andalusia) pediram para eu comprovar que tinha renda para manter a gente por um ano na conta (na época o valor era €6.000,00) e plano de saúde (custava uns 100€ por mês).

      Qual país você esta indo? Minha maior dica é: tenha paciência. Esta parte é meio chata mas com calma você desenrola.

      1. Entre maio e setembro (mais ou menos o período do visto de turismo) vamos a França, Itália e Alemanha trabalhando via workaway, e depois vamos nos estabelecer na Alemanha ou Portugal, dependendo de respostas de universidades.

        É, paciência parece a chave mesmo. A regra de entrada é a mesma, mas a permanência depende do país, então não adianta se preocupar antes de definir o destino definitivo. Achei que seria bem mais simplesl por ser casado com uma cidadã, mas…

        Gracias resposta. Abraço

        1. Visto de turista pra Europa é de 3 meses e dá de ampliar para mais 3 (depois disso, só com visto de residente). Tem gente que fica em hotel, outros em hostel, outros alugam apartamento, outros fazem couchsurfing ou trabalho voluntário. Quando vc entra no continente, fica fácil. Ninguém fica te parando e pedindo visto (isso também explica porque tem tanta gente ilegal).

          COMPLICA só quando vc quer virar residente LEGAL.

          E lógico que, mesmo como turista, vc tem que passar pela imigração. Basta ter dinheiro e documentos de vínculo com o seu país (e isso só se o agente na imigração for chato, porque nas minhas viagens pra Europa os agentes sempre só me deram “bom dia” e carimbaram meu passaporte, mais nada).

          Enfim, bom planejamento e boa viagem.

          1. Olá, gostaria de saber como faöo para estender o visto de turista na europa para mais 3 meses. obrigada

          2. Author

            Oi Laura,

            Primeiro de tudo, desculpe a demora em responder. Se as vezes é difícil manter a casa em ordem e tocar a vida direitinho com duas filhas, imagina manter o blog! Mas vamo lá…

            Eu não gosto de dar conselhos sobre visto por vários motivos. É um balaio de gato, eu não sou advogado e cada caso é um caso. Eu tenho passaporte Europeu mas a Verônica não e agente quase se viu na situação de ter que renovar o visto de turista. A solução que íamos fazer era ficar fazendo Woof por 3 meses no Marroco, mas no final de contas conseguimos resolver sem ter que sair.

            A primeira coisa que você tem que entender é como funciona zona Schengen. Este visto de 3 meses vale para 26 países. A Inglaterra, por exemplo, não faz parte da zona Schengen. Então você poderia por exemplo passar 3 meses na Inglaterra e voltar para a ¨Europa¨ (Zona Schengen). O que muitos americanos fazem é passar 3 meses na Zona Schengen, ir para o Leste Europeu ou norte da África (Marrocos) e ficar 3 meses por lá… Essa é uma idéia.

            Outra opção é ver vistos de estudante, mas cada país vai ser diferente…

            Até onde eu sei extensão é bem difícil de conseguir.

  5. Olá,
    Para quem vai fazer trabalho voluntário na Europa e ficará menos de 90 dias, é necessário visto? Pois teoricamente, turistas têm até esse período para ficar na Europa sem visto. Isso se aplica para trabalho voluntário?
    Obrigada! 🙂

  6. Oie, para alguém que vai aproveitar o período de férias (1 mês) para vivenciar a primeira experiencia WWOOF, qual o país que vcs recomendam entre facilidades de visto e fazendas acolhedoras? 🙂 – vamos eu e meu marido a ideia é ir em outubro.

    1. Oi Alessandra, a gente não tem conhecimento pra dar dicas sobre facilidade de visto, desculpa… E pra recomendar, a gente curtiu bastante onde a gente esteve mas cada experiência é única. Acho que a melhor forma é vc pesquisar bastante como nós fizemos e procurar lugares que concentrem muitas das coisas que vcs estão buscando. Um abraço e boa sorte!

Leave a Comment