Apps legais para sua(seu) filha(o) de 5 a 8 anos. E também meio parágrafo sobre educação fora da escola.

Eu não vou mentir pra vocês, nossa família adooooora tecnologia. Gosta até demais, sabe como é? Cada um na sua própria máquina sentados numa sala sem conversar uns com os outros só tomando um banho de luz de tela? Bate uma culpinha sim, mas dai quando acontece isso a gente sai pra alguma viagem, acampa, vai pra fazenda sem energia e balanceia esse lado viciado que nós temos…

Pois então, apesar de toda culpa, eu devo dizer que depois que tiramos a Alice da escola e também tiramos quase todos os brinquedos que a menina tinha, o iPad virou um grande companheiro. Eu super usei ele como argumento quando a gente estava tentando convencer ela de que todos os brinquedos que ela tinha deveriam caber na única caixa que a gente deixou lá em Londres… E ela aceitou isso diante da promessa de que eu baixaria vários apps legais pra ela. Cada família com sua dinâmica, não me julgue.

Eu tinha escrito um post sobre aplicativos pra ensinar seu filho inglês, que eu fiz pra minha amiga Gi do Mãe Geek, vc pode conferir ele e alguns dos apps que a gente usava na época aqui: http://www.maegeek.com/os-melhores-jogos-online-e-apps-para-criancas-de-3-a-6-anos-que-estao-aprendendo-a-ler/

Mas a Alice cresceu e os aplicativos mudaram. Fora isso, eu achei que valeria a pena falar um pouco mais sobre os apps educativos que a gente tem usado bastante depois que ela saiu da escola.

Então, ai vai uma lista pequena com alguns dos favoritos. Eu tentei não colocar muitos que dependam de conexão com internet (para que seus(suas) pequenos(as) possam mesmo usar eles em qualquer lugar) ou que seja essencial o inglês. A maioria dos joguinhos é muito visual e mesmo se seu filho não entender o que está escrito, intuitivamente vai entender o que deve ser feito. Tem só um que foge dessa regra e eu to explicando porque.

A verdade é que o mercado em inglês de apps é muito mais rico que o de língua portuguesa. Olha ai, um super nicho pra quem sabe desenvolver apps… Se for o caso, depois eu coloco aqui mais uma lista com uns apps bem bacanas sobre ciências, arte e literatura, mas esses serão em inglês…

Ah, e depois eu faço um post sobre brincadeiras preferidas que não envolvem nenhum tipo de tela. 😉

Obs.: Os apps estão em ordem aleatória.

1) Pettson’s Inventions 1 e 2.

pettsons

Esse joguinho é legal pra adultos e crianças. Lembra quando o Tom fazia aqueles planos mirabolantes pra pegar o Jerry? Então esse é o plano mirabolante! O objetivo é colocar as peças nos lugares certos pra fazer o sistema funcionar. Ensina pensamento lógico e física. O app é gratuito para as primeiras fases e depois você tem que pagar .

Por que é educativo? Estimula o raciocínio lógico e conhecimento das leis de causa e efeito.

 

 

2) Maily Maily_icon1

O Maily não é bem um joguinho. Ele funciona mais ou menos como a primeira conta de e-mail do seu filho. Uma conta de e-mail em que ele pode mandar desenhos que ele mesmo faz ou que o programa oferece, colocar fotos e escrever. Eu acho legal porque eu adicionei os contatos dos tios e dos avós no app e agora volta e meia eles recebem cartinhas com desenhos como esse.

photo

 

Eu também posso optar por receber qualquer e-mail que a Alice mande ou receba no meu e-mail. Por que eu acho educativo? Porque ela treina escrever e ler!

O Maily é grátis!

3) SurvivalCraft / Minecraft:

Super casa nas montanhas da Alice.

Eu devo estar cometendo algum tipo de crime colocando esses dois jogos como a mesma coisa, mas pra mim é. Na verdade, eu acabei de perguntar pra Alice e ela me disse que o Survivalcraft tem mais “blocos” e é mais legal. Então… BLOCOS. Tanto o Survival quanto o Mine funciona mais ou menos como uma caixa de blocos 3D que a criança usa pra construir o que quiser, o limite é a imaginação. Dizem que é bem viciante, conheço algumas crianças que passariam facilmente o dia inteiro brincando disso e nada mais.

Além de poderem criar o próprio mundinho, dá também para as crianças brincarem uma com as outras (tendo conexão disponível claro) resolvendo missões. Dai como bons pais vale a pena um pouco de supervisão dependendo da idade da criança.

A Alice se diverte bastante criando várias cenários e animaizinhos. Ela fez uma super mansão outro dia com aquários, uma cachoeira indoors cheia de peixes… coisa fina! Também li em algum lugar que uma escola na Suécia colocou o Minecraft na sua grade curricular.

Tipo de conhecimentos estimulados: geometria, estimativa, geologia (o Minecraft trabalha com diferente tipos de rochas e minerais), imaginação, e trabalho em grupo no caso quando a criança brinca em rede com outras.

Minecraft

Survivalcraft

4) Scribblenauts Remix

scribble1

Scribblenauts é provavelmente o único jogo dessa lista que será essencial saber inglês. Se vc sabe, eu recomendo muito que jogue com seu filho. Se seu filho está aprendendo inglês, eu digo que esse foi um dos maiores incentivos para Alice escrever de forma gramaticalmente correta.

Para passar de nível você e a sua criança (se bem que eu tenho que confessar que gosto de jogar ele sozinha também escondido! hehehe) devem escrever as palavras que vão fazer aparecer coisas (objetos, pessoas, seres de outro mundo, adjetivos) na tela que te ajudarão a solucionar os problemas apresentados em cada nível.

Por exemplo: Em um dos níveis um personagem está com sede e você deve refrescá-lo. Você pode dar um copo d’água pra ele, ou criar um rio, ou ainda criar uma pistola d’água e atirar nele. Ou qualquer outra solução que vc pensar.

Esse não é um daqueles apps pra você usar o ipad de babá, tem que estar junto e vale super a pena primeiro porque é bem divertido, segundo porque a criança pode precisar de uma ajudinha com vocabulário, e terceiro porque as vezes o joguinho pode ser um pouco violento.

Por que é educativo? No nosso caso a Alice aprendeu bastante ortografia inglesa. E também resolução de problemas e uso de muuuita criatividade!

5) Mathmateer free.

Mathmatee Free (formerly Rocket Math Free)

Como o nome já diz, este aplicativo é grátis! O joguinho funciona assim: Você tem uma missão pra resolver enquanto seu foguete está flutuando no espaço.  As missões podem ser tocar nos números pares ou ímpares, escolher quais relógios estão mostrando determinada hora, tocar nos formatos, ou resolver continhas (soma, substração, multiplicação e divisão). Eles também tem uma missão de reconhecer moedas, mas as moedas são de dolar então a gente nunca brinca com esse…  As missões vão ficando mais difíceis conforme você completa elas.

Além disso, você pode fazer continhas fora das missões pra ganhar mais dinheirinho de mentira. Com esse dinheiro você pode  “comprar” coisas legais pro seu foguete ficar tunado!

Eu já comprei vários aplicativos educativos de matemática pra Alice, mas esse é o que ela mais gosta de brincar. Fora isso é um dos únicos que vem com uma folha de rascunho super útil quando ela tem que fazer contas de mais de dois dígitos.

Por que é educativo? Eu não vou fingir que vocês são leitores bobinhos, então deixo vocês adivinharem essa!

6) Drangon Box

DragonBox-title

Esse aplicativo é sensacional! Eu queria muito ser criança de novo só pra poder re-aprender álgebra com ele. Sim, o Dragon Box vai ensinar os conceitos básicos de algebra pro seu filho! Ou se você tiver um filho mais velho, existe uma versão pra acima de 12 anos também.

A primeira coisa que acontece quando você abre o joguinho é escolher seu personagem. Desenvolvedores de jogos do mundo inteiro, escutem isso: crianças ADORAM escolher o próprio personagem, mesmo que ele nunca mais apareça de novo no jogo, mesmo que seja bem irrelevante. Não importa. Elas curtem escolher quem vai ser o avatar delas no mundo virtual.

Bom, depois disso, a forma como o jogo funciona é muito parecida com joguinhos como Cut the Rope, e Angry Birds, ou seja, você deve solucionar as fases da melhor forma pra ganhar mais estrelas. Assim que você abre a primeira fase, um tutorial de como o jogo funciona vai aparecer e te guiar passo a passo. O legal é que esse jogo está disponível em 13 línguas e português é uma delas!

Mas independente da língua, a forma como o jogo ensina conceitos de álgebra é bem visual. Por exemplo, números positivos e números negativos, antes de se tornarem +1 e -1 são as cartas com alguma imagem e seu inverso em cores que conseguem se anular. O mesmo acontece para entender o conceito de frações. Pra entender melhor, existem vários vídeos no youtube, como este que te mostram uma pessoa jogando uma das fases: http://www.youtube.com/watch?v=jNAnQ3TmQk0

————————————————

Enfim, falei aqui de algumas das apps que eu acho útil pra ajudar a Alice no aprendizado de algumas coisas que ela tem interesse. Na verdade, esse post foi o jeito mais light que eu encontrei de introduzir o assunto da gente ter tirado ela da escola e apresentar uma das formas que a gente usa pra ajudar ela ir atrás das coisas que ela quer aprender.

Na verdade, no exato momento em que escrevo pra vocês a Alice está sim indo pra uma escola. É uma escola rural aqui na Espanha. O motivo pelo qual resolvemos colocá-la lá é que, como estamos em uma área meio isolada, nas montanhas, sem cidade por perto, a escola é mesmo a única chance que a Alice tem de encontrar outras crianças (ela é o membro menos introvertido da nossa família) e começar a aprender a língua do país. Mas sabemos que essa é uma situação temporária… A escola nem é das piores, tem só 10 alunos na turma da Alice, de diferentes idades, o que eu acho um ponto positivo, mas a verdade é que em duas semanas alguns probleminhas bem típicos de escola com mentalidade atrasada já começaram aparecer…

Enfim, depois eu conto mais sobre isso…

Esse post é só uma forma de dizer que acreditamos que brincar é a forma mais natural (e eficaz) de se aprender (aprender de verdade e não decorar pra uma prova) qualquer coisa.

Esse assunto de educação fora da escola é muito mais denso, muito polêmico e que eu vou tentar expor aqui em doses homeopáticas de acordo com a minha disponibilidade emocional em dividir isso com uma audiência muitas vezes nem tão receptiva.

Enquanto isso, preparem a si mesmos para o tema com o vídeo mais assistido de todos os tempos das palestras do TED talks.   http://www.ted.com/talks/ken_robinson_says_schools_kill_creativity.html

Ou ignorem esses últimos parágrafos e baixem os apps porque eles são bem legais mesmo. 😉

Please follow and like us:

Comments

  1. parabéns, pela iniciativa e coragem, tenho um filho de 18 anos e sempre acompanhei seus estudos, aliás que nunca foram tão bom assim…(escola pública do Brasil), porém não tive a oportunidade de pagar por estudos à ele,agora com minha filha caçula, estou conseguindo uma melhor qualidade nos estudos. Compartilho com voce, que não temos que estudar para termos “notas”, e sim aprender, louvável sim o esforço que voces fazem com sua filha, É muio dificil encontrar app direcionados à educação no Brasil, hoje mesmo vou baixar alguns app, relacionados e me divertir com minha filha…
    Não se decepcione com a pouca quantidade de visitas, pois não é a enorme audiência de mentes obtusas que faram deste blog, um sucesso, mas as visitas inteligentes e bem intensionadas. Vcs, já se inteiraram a respeito da certificado de conclusão do ensino fundamental para crianças que estudam fora do país? boa sorte e que Deus os iluminem.

  2. Gostei muito de suas posições quanto á educação, principalmente porque também acredito que as crianças aprendem muito mais quando estão envolvidas com uma brincadeira, como você mesma colocou, nem eu fico 5 horas ouvindo alguem falar de algo que nem vou usar pra nada na minha vida (e nem se fosse usar, aguentaria). Há um tempo atrás, descobri que aqui no Brasil, se seu filho não está matriculado na escolar regular você pode ser PROCESSADO e até mesmo perder a guarda dele!!! Achei um absurdo!!! Meu filho tem 4 anos, meu esposo é palhaço e malabarista e eu decidir entrar nessa com ele e foi quando descobri que não posso simplesmente ensinar meu filho em casa e sair para viajar pelo Brasil… é muito triste, pois sei que ele iria aproveitar e aprender muito mais, viver história, descobrir geografia, aprender matemática com coisas do cotidiano…

    1. Pois é Janaina, apesar de entender porque o estado brasileiro age assim, eu acho muito triste os pais não poderem decidir como vão educar os filhos… Com certeza crianças (e todos os seres humanos) aprendem muito mais quando tem interesse e estão engajados na atividade de livre vontade. Eu fico super feliz de ver que a Alice entende que as pessoas vivem de maneiras diferentes e que nenhuma é melhor ou pior que a outra. Ela tem um respeito pelo outro e uma curiosidade pelo diferente, pela diversidade biológica, geográfica e cultural que provavelmente não vai sair nunca dela. Acho que vc pode tentar fazer o mesmo pelo seu filho, tem um movimento de aprender sem escola crescendo no Brasil. Vou tentar falar um pouco disso aqui no blog. Boa sorte pra vc!

  3. Estou maravilhada, não só com a história de vida de vocês, mas também, com seu blog. Irei recomendar a todos que conheço. Parabéns!!!! Que Deus os proteja e lhes dê muita saúde.

Leave a Comment